Grupos de Pesquisa cadastrados no CNPq

Os grupos de pesquisa organizados e cadastrados no Diretório do CNPq possuem infraestrutura própria que lhes dão autonomia para realização de atividades de pesquisa e extensão.

NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO VOZES DA EDUCAÇÃO MEMÓRIA(S) HISTÓRIA(S) E FORMAÇÃO DE PROFESSORES

O Grupo de Pesquisa Vozes da Educação: Memória(s), História(s) e Formação de Professores/as foi criado em 1996, na Faculdade de Formação de Professores, UERJ e cadastrado no CNPq em 2003. A partir da articulação pesquisa-ensino-extensão, temos constituído diferentes espaços de memória, narração e formação com estudantes e docentes. Congregamos hoje doze doutoras/es, vinculadas a quatro linhas de pesquisa e cerca de 50 bolsistas entre IC (CNPq /UERJ /FAPERJ), além de iniciação à docência, extensão e estágio técnico. A partir de 2009, agregamos ao Diretório orientandos/as do Mestrado em Educação - Processos Formativos e Desigualdades Sociais. Entre as ações de maior repercussão, citamos seis Seminários de Educação, realizados entre 2001 e 2016, com o apoio da SECAD/MEC, CNPQ, Capes e da FAPERJ, que contaram com palestrantes nacionais e internacionais, com média de 500 participantes cada. Entre as publicações destacamos seis livros publicados pelo grupo como desdobramento das atividades desenvolvidas materializadas em publicações de docentes e discentes, incluindo os Seminários.

Recursos disponíveis: O Núcleo se localiza na sala 303, do bloco B da FFP/UERJ e está equipado com 5 (cinco) computadores (sendo um deles como ferramenta para ilha de edição para apoio das atividades de bolsista PROATEC), 2 (duas) impressoras, 4 (quatro) laptops, 4 (quatro) projetores multimídia, 1 (uma) filmadora semiprofissional da marca Sony, 10 (dez) porta banners, 1 (uma) mesa de reunião e 8 (oito) cadeiras acolchoadas.

NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E INFÂNCIA (NIPHEI)

O Núcleo tem como objetivo central promover estudos e pesquisas relacionados aos temas concernentes à história da educação e da infância, estabelecendo interfaces com outras áreas de conhecimentos, com o propósito de constituir-se em espaço privilegiado para o desenvolvimento e a difusão de estudos e de pesquisas vinculados à  educação. Em sua composição, o NIPHEI congrega pesquisadores de formação variada, doutorandos, mestrandos e alunos de graduação, especialmente alunos e professores oriundos dos cursos de História, de Pedagogia, de Letras e de biologia. O interesse que orienta as pesquisas em andamento no Laboratório vincula-se a construção de um amplo repertório de questões-problema do qual fazem parte a produção de uma "cartografia" acerca dos intelectuais organizadores da ciência e da educação, visando perscrutar seus projetos de modernização científica do Brasil republicano e as suas redes de sociabilidade (Sirinelli, 2003) no interior do Estado e fora dele. Por esse aspecto, nossos estudos têm procurado compreender como se posicionavam os intelectuais na "passagem" do Império para a República frente aos debates que envolviam as teses deterministas da desigualdade racial, bem como na criação de instituições de caráter médico-científico de intervenção na saúde pública e na educação promovidas por instituições públicas e privadas direcionadas à infância.

Recursos disponíveis: Sala 305D da Faculdade de Formação de Professores, aonde temos armários, mesa, cadeiras, computadores, impressoras, filmadora, máquina fotográfica, data show.

COTIDIANO ESCOLAR E CURRÍCULO

O grupo encontra-se estruturado desde 1997 e, desde 2009,  no PPGEDU-Processo Formativos e Desigualdades Sociais com projetos de pesquisa, dissertações de mestrado e teses de doutorado, desenvolvidas em torno de: 1. práticas curriculares; 2.cultura e cotidianos da escola e de outros espaços educativos; 3.práticas educativas em educação de jovens e adultos; 4. possibilidades emancipatórias das práticas educativas cotidianas. A produção do grupo concentra-se em : (1) produção bibliográfica teórico-epistemológico-metodológica em torno das noções de 'currículos pensadospraticados', tecidos em redes e da compreensão das professoras como 'praticantespensantes' do currículo entendido como criação cotidiana, com potencial emancipatório', pela prática da 'justiça cognitiva e da cidadania horizontal. Esta produção tem sido publicada no país e no exterior, sob a forma de artigos e livros, e apresentada em congressos nacionais e internacionais; e (2) produção técnica, especialmente na forma de palestras, consultorias e assessorias a secretarias de educação.

Recursos disponíveis: No Programa de Mestrado em Educação  Processos Formativos e Desigualdades Sociais, com apoio de auxílios da FAPERJ e CNPq, o grupo está instalado em uma sala climatizada com mesa e quatro cadeiras para reuniões 2(dois)computadores, 3 (três) laptops,1 (uma) impressora.

DIÁLOGOS ESCOLAS-UNIVERSIDADE: PROCESSOS FORMATIVOS, CURRÍCULOS E COTIDIANOS

O grupo encontra-se estruturado desde 2011 através de projetos de pesquisa, iniciação docência e articulação e extensão que originam: dissertação de mestrado, pesquisas de doutorado e produções bibliografias em torno de: estudos dos currículos, políticas e processos formativos, culturas e cotidiano dos diversos espaçotempo educativos, em especial as escolas. Conta com a interlocução entre pesquisadores e instituições de ensino superior e educação básica, constituindo-se em espaço de diálogos escolas-universidades. Os objetivos do grupo são: Evidenciar e discutir os conhecimentos, valores e sentidos de docência e escola tecidos nos processos formativos; desenvolver e estudar processos que nos currículos favoreçam a desconstrução e ressignificação das representações e a produção solidária de saberes docentes na produção cotidiana dos currículos; buscar compreender os espaços e ações formativas que podem contribuir para intensificar e ampliar os diálogos Universidade-escola como política de formação docente.

Recursos disponíveis: O grupo utiliza uma sala compartilhada com outros grupos, contando com 2 lap tops; Impressora, Data show; Caixa de som;  (todos os equipamentos foram adquiridos com verba de Apoio à Pesquisa Básica - APQ1- FAPERJ)

FORMAÇÃO DE PROFESSORES, PROCESSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS.

Grupo com essa denominação a partir de 2011, aposta em um processo coletivo que visa “aprimorar as instâncias das práticas desenvolvidas por docentes da FFP junto a professores em formação, utilizando instrumentos da pesquisa qualitativa e dialogando com vários campos, [...] tendo como eixo constituinte o fazer docente”. (dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0581345335015580). Trabalhamos com uma única linha de pesquisa que intitulamos Investigação sobre Formação Docente, na qual se congregam projetos coordenados pelos componentes do grupo. A formulação da Linha de Pesquisa diz o seguinte: o grupo busca desenvolver e sistematizar atividades que consideramos de prática de ensino em espaços educativos escolares e não-escolares, tanto atendendo a uma necessidade de complementar a formação vivenciada como atendendo aos nossos próprios anseios de ampliar as possibilidades dos diversos espaços educativos. Trabalhamos com professores e alunos da FFP com vistas buscar as imagens que trazem de suas formações e atuações profissionais. Nossas práticas e nossas histórias que nos fazem professores serão material de suporte às reflexões conjuntas a serem empreendidas pela equipe constitutiva desse grupo de pesquisa. Além de nossos projetos individuais, temos uma tarefa conjunta que é trabalhar sobre nossas histórias de aprendizagem, nas reuniões periódicas do grupo, trocar experiências, construir saberes e erigir nossos castelos de sonhos e vivências, para fortalecer e aprimorar nossas práticas e compartilhar com os que conosco convivem nesse complexo mundo dos que escolhem ensinar e aprender como ofício e missão.

Recursos disponíveis: Sediados na sala 305 A bloco B FFP/UERJ; dispomos de 3 computadores , uma impressora multiuso, mesas e cadeiras adquiridos com financiamentos da FAPERJ para projetos de membros do GRUPESQ.

LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO E IMAGEM

Com a criação do Laboratório Educação e Imagem, em 2000, foi possível o desenvolvimento de uma série de pesquisas financiadas pelo CNPq, FAPERJ e UERJ, em torno de artefatos culturais vários (televisão, vídeo, fotografia, cinema, caricatura, pintura, desenho etc) o que tornou necessário a formação deste grupo, saído do grupo anterior (Cotidiano escolar e currículo) pelo desenvolvimento de questões relativas às imagens e narrativas, nas redes educativas cotidianas, com preocupações no desenvolvimento prático-teórico de currículos nos cotidianos escolares. Desenvolveu-se, ainda, no grupo, a compreensão de que era necessário acrescentar a dimensão das diversidades: de raça/etnia; de gênero; de classes sociais etc na compreensão dos usos (Certeau) feitos desses artefatos pelos 'praticantespensantes' das redes educativas que pesquisávamos, em suas dimensões histórica, antropológica, filosófica, política, cultural e educativa.

O Laboratório conta com vários grupos de pesquisa da UERJ a ele articulados UERJ, a saber: Currículos, Redes Educativas e Imagens (Profa. Nilda Guimarães Alves (UERJ-Maracanã e UERJ-FFP); Cotidiano escolar e currículo (Coordenador: Inês Barbosa de Oliveira (UERJ-Maracanã e UERJ-FFP); Culturas e identidades no cotidiano (Coordenador: Mailsa Carla Pinto Passos - UERJ); Diálogos Escolas-Universidade: Processos Formativos, Currículos e Cotidianos (Coordenador: Alexandra Garcia);  Educação e Comunicação (Coordenador: Raquel Goulart Barreto - UERJ); Infância, Juventude, Educação e Cultura (Coordenador: Maria Luiza Magalhães Bastos Oswald - UERJ); ILÉ OBA ÒYÓ (Coordenador: Maristela Gomes de Souza Guedes - UERJ); Currículos, narrativas audiovisuais e diferença (Coordenador: Maria da Conceição Silva Soares - UERJ); GPDOC - Grupo de Pesquisa Docência e Cibercultura (Coordenador: Edméa Oliveira dos Santos - UERJ); Instituições, Práticas Educativas e História (Coordenador: Ana ChrystinaVenancioMignot - UERJ); Currículos, redes educativas e imagens (Paulo Sergio Sgarbi Goulart - UERJ). Conta, também, como grupos associados que pertencem a outras universidades e programas de pós-graduação, a saber:  LABORATOIRE CIVIIC (Centre de Recherchesinterdisciplinairessurlesvaleurs, lesidées, lesidentités et lescompetences em éducation et formation)/Université de Rouen/França (Coordenador : Jean-Luc Rinaudo - Université de Rouen); Estudos Culturais em Educação e Arte (Coordenadores: Aristóteles Berino - UFRRJ e Aldo Victorio Filho - UERJ); Laboratório de estudos audiovisuais - OLHO
(Coordenadores: Antonio Carlos Rodrigues de Amorim – UNICAMP); Currículos, cotidianos, culturas e redes de conhecimentos (Coordenadores: Carlos Eduardo Ferraço - UFES e Janete Magalhães - UFES);  NUCLEAR - Núcleo de Livres Estudos de Arte e Cultura Contemporânea (Coordenadores: Roberto Conduru - UERJ); FORMACCE  - Grupo de Pesquisa em Currículo e Formação (Coordenadores: Roberto Sidnei A. Macedo - UFBa); Educação, sociedade do conhecimento e conexões culturais (Coordenadores: José Valter Pereira - UFRRJ e Anelice Astrid Ribetto - FFP/UERJ); Cultura Visual e Educação
(Coordenadores: Raimundo Martins – UFG  e Irene Tourinho); Cotidiano Escolar (Coordenadores: Marcos Reigota - UNISO); Tecendo – Educação ambiental e estudos culturais
(Coordenadores: Leandro Belinaso Guimarães - UFSC); Observatório Jovem do Rio de Janeiro
Coordenadores: Paulo Carrano (UFF); Coletivo Butuca – LaButuca (Laboratório de Política e Práticas Educativas)
(Coordenadores: Rui Gomes de Mattos de Mesquita - UFPe); Grupo de Estudos e Pesquisas Memória, Escola e Cotidiano (GEPEMC) (Coordenador: Carmem Lúcia Vidal Pérez - UFF) e Escola, currículo sociedade e cultura contemporâneos
(Coordenadores: Maritza Maciel Castrillon Maldonado e João de Deus dos Santos - UNEMAT).

Recursos disponíveis: O Laboratório Educação e Imagem é um organismo da estrutura da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ (www.uerj.br)e, a partir de 2015, também da Faculdade de Formação de Professores da UERJ”, através do Mestrado em Educação - Processos formativos e desigualdades sociais.Surgiu, em 2000, da necessidade sentida por professores do ProPEd (Programa de Pós-graduação em Educação - www.proped.pro.br) que tinham seus trabalhos de pesquisa incluindo o estudo da imagem. Hoje, dele fazem parte professores/professoras e alunos/alunas da pós-graduação e da graduação, desenvolvendo pesquisas, ensino e extensão em torno da relação educação com as imagens e os sons, dentro da realidade do Estado do Rio de Janeiro, em escolas e em outros "espaçostempos" educativos. Para o desenvolvimento das pesquisas que aí se articulam, o Laboratório possui bom apoio quanto à infraestrutura: sala própria com ligação de internet (com apoio da Faculdade de Educação); equipamentos e material permanente (com apoio do CNPq - www.cnpq.br e FAPERJ - www.faperj.br).

Recursos disponíveis: 2 computadores de mesa, 2 notebooks, 2 impressoras, 2 filmadoras, 2 computadores Macs desktop e 1 Macboock. O Laboratório dispõe de biblioteca com 2244 livros e de filmoteca com 339 filmes.

SERAPHICUS

O Grupo SERAPHICUS tem a característica de reunir pesquisadores de diversas instituições de pesquisa do Brasil e do exterior que se dedicam aos estudos interdisciplinares da cultura brasileira, com ênfase na educação brasileira (UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, ITF - Instituto Teológico Franciscano, UNIPAR - Universidade Paranaense e Universität Würzburg, na Alemanha). SERAPHICUS é o primeiro grupo de pesquisa formado no Brasil com uma das suas linhas de pesquisa integralmente dedica à investigação da ação dos franciscanos no campo da cultura e, particularmente, na educação brasileira. Seus membros, vinculados às humanidades, têm logrado êxitos com a aprovação, a manutenção e a conclusão de projetos de pesquisa com apoios institucionais, bem como na divulgação dos resultados das pesquisas empreendidas através de publicações em livros, periódicos e anais de congressos. Tem finalmente uma ação formativa de novos pesquisadores em nível da graduação e da pós-graduação.

Recursos disponíveis: Sala compartilhada com outros grupos de pesquisa.

 NÚCLEO DE PESQUISA E ENSINO EM CIÊNCIAS- NUPEC/FFP

GRUPO DE PESQUISA E EXTENSÃO DE FORMAÇÃO DE COORDENADORES E PROFESSORES EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (GPEMAT)

O grupo tem por objetivo promover estudos, pesquisas e intervenções relacionados a formação de coordenadores e professores em Educação Matemática do Ensino Fundamental. Constitui-se de coordenadores e professores do Ensino Fundamental da rede pública de São Gonçalo e adjacências, graduandos, mestrandos e doutorandos. Trabalhamos em parceria colaborativa com outros grupos de pesquisa, tais como: Formação de Professores, Processos e Prática Pedagógicas (UERJ) e o Grupo de Estudo Formação de Professores, Currículo e Cotidiano Escolar (GEFOCC) da PUC-Rio. A pesquisa em andamento, tem por objetivo compreender a contribuição da Comunidade Prática (CoP) para a prática de ensinar e aprender números e operações dos participantes. A pesquisa é de cunho qualitativa do tipo pesquisa-ação participativa (Kemmis; Wilkison, 2011) em que a pesquisadora e os docentes e o coordenador possam investigar e propor mudanças em suas práticas. Optamos por essa metodologia porque ela pode favorecer o desenvolvimento profissional de todos os participantes uma vez que possibilita refletir criticamente sobre como seu conhecimento e do outro estrutura e restringe a sua ação.

Recursos disponíveis: O grupo utiliza uma sala compartilhada com outros grupos de pesquisa, conta com um lap top, data show e caixas de som.

------------------------------------------------------------------------------------

Projeto de Extensão “SÁBADOS NO PARAÍSO”- Coordenação: Maria Tereza Goudard Tavares- cadastrado no DEPEXT desde 2008/em atividade. Objetiva agregar a comunidade interna e externa à FFP, caracterizando-se pela abertura sistemática da Faculdade aos sábados, no horário das 09 às 14 horas, utilizando os seus espaços multiusuários para a realização de atividades artísticas, desportivas e culturais, envolvendo artistas locais e a comunidade docente e discente da Universidade. O Projeto intenciona produzir agenciamentos intergeracionais e comunitários, capazes de agregar valores estéticos e humanitários às relações extensionistas entre a FFP e o seu entorno, valorizando as interfaces produtivas entre a educação, a cultura e o lazer.

 O Núcleo de pesquisa e extensão VOZES DA EDUCAÇÃO: MEMÓRIA E HISTÓRIA DAS ESCOLAS DE SÃO GONÇALO, fundando-se na tríade ensino-pesquisa-extensão, cadastrado no DEPEXT/UERJ desde 1996, vem desenvolvendo ações cujos objetivos centrais são a criação de núcleos de memória e história nas escolas públicas de São Gonçalo, garantindo o registro do passado e a reconstrução através de diversas fontes como: arquivos, fotos, testemunhos verbais, cartas, entre outros, revivendo a história social e política das escolas. Congrega os professores Lucia Velloso Maurício, Inês Bragança, Mairce Araujo, Márcia Soares de Alvarenga, Maria Tereza Goudard  Tavares, Luiz Fernando Sangenis e Jacqueline de Fátima Moraes – todos professores do Mestrado em Educação/FFP. Dentre as atividades do Núcleo em 2010, destacamos o IV Seminário de Educação Vozes da Educação: Formação de Professores/as – Narrativas, Políticas e Memórias, realizado em 2010. O Seminário, que contou com a presença de conferencistas nacionais e internacionais, teve como objetivo socializar e aprofundar o debate sobre a produção do conhecimento no campo da formação de professores/as e suas relações com as práticas educativas. Contamos com a presença de 400 participantes entre pesquisadores e professores da educação básica, favorecendo um fértil diálogo.

 O projeto de extensão FÓRUM DE ALFABETIZAÇÃO, LEITURA E ESCRITA DE SÃO GONÇALO, coordenado por Mairce Araújo e Jacqueline Morais, cadastrado em 2010, tem como objetivo formalizar uma parceria interinstitucional entre a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e a Faculdade de Formação de Professores (FFP), que já acontece desde 2006 em encontros periódicos que visam refletir sobre práticas alfabetizadoras. Tais encontros têm como público preferencial professores/as que atuam na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental e estudantes do curso de Pedagogia. Os encontros, coordenados por professor /a vinculado/a à universidade em parceria com professor/a vinculado/a à escola básica, abordam temas definidos a partir das demandas do grupo, que atravessam a prática alfabetizadora cotidiana, buscando caminhos para que a apropriação da leitura e da escrita aconteça desde os primeiros momentos como um exercício de autoria e pensamento crítico. Valendo-nos de um referencial denominado por Canário (2005) de “processos formativos docentes centrados na escola”, o projeto busca desenvolver ações extensionistas com a escola e não para a escola, com vistas à produção de um conhecimento coletivo junto com as professoras e não sobre suas práticas. Em 2011 o projeto passou a contar com a participação do profº Guilherme do Val Toledo Prado, da Faculdade de Educação da UNICAMP.

 Coordenado pela Prof Helena Amaral da Fontoura, está sendo desenvolvido o Projeto RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA, UM ESTUDO DE EGRESSOS DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UERJ, contando com a colaboração das Profs Inês Bragança, Maria Tereza Goudard Tavares, Márcia Soares de Alvarenga e Mairce Araújo, do Programa e das Profªs Vania Medeiros Gasparello e Gianine Maria de Souza Pierro, do Departamento de Educação da FFP, e ainda da Pedagoga da Unidade e Mestre em Educação FFP/UERJ, Gláucia Braga Ladeira Fernandes. Este trabalho engloba ações de pesquisa, ensino e extensão, através de encontros mensais com egressos da FFP com vistas a subsidiar reflexões sobre práticas docentes de professores iniciantes na carreira, discutir dilemas da profissão docente e alimentar práticas inclusivas e emancipatórias.

 O Projeto de Extensão 100 ANOS SEM EUCLIDES, coordenado por Luiz Fernando Conde Sangenis, contemplado pelo Edital Pontos de Cultura, do Ministério da Cultura (MINC), em 2010, trabalha para o fortalecimento e a manutenção dos grupos de expressões artísticas, memória social, cultura popular e local, inclusão digital e audiovisual, no âmbito do município de Cantagalo-RJ, terra natal do Escritor Euclides da Cunha. Trata-se de Projeto interinstitucional, com a participação da Faculdade de Educação e da Faculdade de Letras da UFRJ, da FUNARJ (Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro) – Casa de Euclides da Cunha, do ILTC – Instituto de Lógica, Filosofia e Teoria da Ciência e a UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (através das Cátedras “Cidade e Meio Ambiente” e “Economia Global e Desenvolvimento Sustentável”).